Endometriose

O que é?
Acesse nosso portal com vasto conteúdo sobre endometriose: www.tudosobreendometriose.com.br

EndometrioseA Endometriose se caracteriza pela presença do endométrio fora da cavidade uterina. O endométrio corresponde ao tecido que reveste a cavidade do útero, preparando-o para receber o embrião. Em situações normais, quando não acontece a fecundação, este tecido se descama e é eliminado através da menstruação. Mas em casos de endometriose, o endométrio se desenvolve fora do útero e pode acometer além do peritônio, tecido que reveste a cavidade abdominal,  os ovários, tubas uterinas, ligamentos pélvicos, intestino, apêndice, bexiga e vagina.

A Endometriose, embora tenha sido relatada a primeira vez a três séculos atrás, é conhecida como a doença da mulher moderna. Esse conceito se baseia no comportamento feminino atual, onde as mulheres engravidam com idade avançada, têm menos filhos e experimentam frequentemente situações de stress. Esse comportamento propicia maior tempo de exposição do organismo ao estrógeno (pois menstruam mais) e redução de suas defesas naturais (por ansiedade e stress). Acomete de 10 a 15% das mulheres em idade reprodutiva, e aproximadamente 40% das mulheres inférteis.

Entenda a causa:

A causa da endometriose ainda não foi estabelecida, mas alguns estudos sugerem fatores de risco como: stress, predisposição genética, exposição a fatores tóxicos ambientais, disfunção imunológica e menstruação retrógrada (teoria mais conhecida).

Na menstruação retrógrada, sangue e endométrio, além de seguirem seu fluxo normal, saindo pela vagina, também retornam pela tubas uterinas para dentro da cavidade abdominal. Com isso, o endométrio consegue se instalar em um local diferente do seu local de origem, que é o útero, podendo levar ao início de um foco de endometriose.

Alguns fatores como: exercícios físicos, alimentação balanceada, redução do nível de stress, podem ajudar a evitar esse mal.

Endometriose, Causa

Endometriose e Infertilidade

A endometriose pode causar infertilidade por alguns fatores: influencia o hormônio no processo de ovulação e na a implantação do embrião; prejudica a liberação do óvulo dos ovários em direção às trompas; interfere no transporte do óvulo pela trompa, tanto pela alteração inflamatória causada pela doença, como por aderências (as trompas "grudam" em outros órgãos e não conseguem se movimentar); alterações no desenvolvimento da gestação; pode interferir no desenvolvimento embrionário e aumentar a taxa de abortamento, entre outros.

A endometriose não inviabiliza, mas diminui bastante a chance de gestação. O diagnóstico precoce é fundamental para combater a infertilidade.  Por isso, ao surgirem sintomas como cólica, irregularidade menstrual, ainda que discretos, ou dificuldades para engravidar, você deve procurar o especialista.

Tratamento

A única maneira de tratar a endometriose é a total remoção cirúrgica dos focos através de vídeo laparoscopia porém, considerando o fato de não tratar-se de doença maligna, pode-se optar por tratamento medicamentoso através de medicações hormonais, que visa exclusivamente amenizar as dores, ou seja, tratar os sintomas da doença.

O tratamento clínico não beneficia mulheres que estejam tentando engravidar e pelo contrário, apenas atrasa a obtenção da gravidez. Outra consideração é que, seja qual for o tratamento clínico escolhido, não haverá o desaparecimento das lesões e, caso a terapia seja descontinuada, os sintomas reaparecerão.

Pacientes inférteis, sem queixa de dor, podem submeter-se às técnicas de reprodução assistida para obtenção da gravidez. O tratamento cirúrgico, quando realizado adequadamente, aumenta as taxas de gravidez espontânea e também melhora os resultados da fertilização in vitro.

Conheça os sintomas

Existem 6 principais sintomas clínicos para a Endometriose:

  1. Cólica menstrual
  2. Dor na relação sexual
  3. Alterações no intestino na época da menstruação, apresentando sintomas como diarreia, intestino preso, sangramento anal)
  4. Alterações na bexiga e vias urinárias na época da menstruação, como aumento do volume das micções, dor ao urinar ou sangramento na urina.
  5. Dores agudas entre as menstruações
  6. Infertilidade

A endometriose pode causar cólicas menstruais intensas que chegam a limitar as funções diárias, atrapalhando a vida social e profissional. É importantíssimo ficar atento a este sintoma desde a puberdade e monitorar as adolescentes que sofrem com a menstruação.

Infelizmente, ainda nos dias de hoje, mulheres com endometriose chegam a demorar em media 7 anos para receber o diagnóstico da doença. Este fato se dá por falta de informação, não apenas da comunidade leiga mas também dos próprios ginecologistas e também pela dificuldade de se realizar um exame de imagem com profissional especializado que permita identificar a doença.

A endometriose se apresenta de 3 formas diferentes: superficial, profunda e ovariana. A doença superficial apesar de representar a forma mais leve, segundo a classificação da Sociedade Americana de Reprodução Humana, pode justificar dor e infertilidade. A doença ovariana e a profunda são as formas mais temidas e consideradas severa segundo a mesma classificação. Estão frequentemente associadas a dores de forte intensidade e comprometimento de órgãos não ginecológicos, como o intestino e a bexiga. Também são causadoras de infertilidade.

Mãos

A cirurgia laparoscópica deve ser planejada com o auxílio de exames de imagem (ultrassom transvaginal com preparo intestinal ou ressonância magnética) realizados por especialistas no diagnóstico de endometriose. O objetivo do tratamento cirúrgico é a remoção de 100 % dos focos endometrióticos e para isso, em alguns casos são necessários equipe multidisciplinar composta por cirurgião do aparelho digestivo e/ou urologista, além do ginecologista. O planejamento correto e a escolha de profissionais especializados no diagnóstico e cirurgia é fundamental para o bom resultado, ou seja, para que se evite a realização de múltiplas intervenções cirúrgicas devido a persistência das lesões.

A laparoscopia é um procedimento que exige profundo conhecimento técnico, pois muitas vezes os órgão internos da pelve encontram-se distorcidos anatomicamente pela intensa atividade inflamatória causada pela endometriose.